Capital Mundial da Caninha

Dentro e fora do país, Pirassununga é celebrizada pela qualidade da cachaça que produz e exporta para diversos países.

Os italianos que aqui chegaram no período da imigração, passaram a produzir com pioneirismo uma caninha de qualidade inigualável, cuja fama se espalhou pelos quatro cantos do país e fora dele.

No passado, a qualidade da caninha chegou a atrair personalidades do mundo político  como o presidente da República Jânio Quadros, entre outros, que visitava Pirassununga para degustar a “birita” direto da fonte.

A Companhia Müller de Bebidas, que produz a Cachaça 51, com sede no município, é a maior exportadora da bebida no Brasil. Por essas e outras razões, Pirassununga também ficou conhecida como a “Capital Mundial da Caninha”.

Na região rural – onde tudo começou – a tradição da melhor cachaça artesanal de qualidade, atraia turistas de diversos estados e de outros países. Temos o Alambique Bayu (Cachaça Bauy), Alambique Naressi (Cachaça Boa Vista), Alambique Scherma (Cachaça Schermann) e Alambique Engenho Pequeno (Cachaças Engenho Pequeno e Patrimônio).

E mais recentemente, passamos a contar com o Alambique Sapucaia, que produz as Cachaças Sapucaia Florida Cristal, Sapucaia Florida Ouro, Sapucaia Velha Tradicional, Sapucaia Velha Reserva da Família, Sapucaia Real, Senzala e Quizumba.

Na indústria, duas grandes empresas produtoras da bebida se destacam no mercado interno e externo.

A Indústria de Bebidas Pirassununga produz a Caninha 21, Cachaça Envelhecida Caimbraia, Terra Roxa, Janaína  (cachaça adoçada), Maria Joana (cachaça, mel e limão), Villa Velha e Cachaça do Barril. Seus produtos estão presentes nos mais longínquos rincões do país, nos EUA, Ásia e Europa.

A Companhia Müller de Bebidas, produtora da Cachaça 51, Terra Brasilis 51, Terra Brazilis 51, a 51 Ouro e Reserva 51, é a maior exportadora da bebida no Brasil, presente em mais de 50 países.

Por essas e outras razões, Pirassununga também ficou conhecida como a “Capital Mundial da Caninha”.