Categories Cultura

31 de outubro Dia do Saci: Poucos conhecem a história e a riqueza desse mito

O Saci reúne num só personagem os três grandes povos formadores do brasileiro: indígena, africano e europeu. Tem a cor de uma grande parcela da população brasileira, que é vítima de preconceito.

É o mito brasileiro mais popular, o único conhecido no país inteiro.

E é o típico brasileiro: mesmo pelado e deficiente físico é brincalhão e gozador. Teria surgido na região Sul do Brasil durante o período colonial, no final do século XVIII, por ocasião das Missões.

Segundo o jornalista, escritor e pesquisador, Mouzar Benedito, o Saci surgiu como mito Guarani.

Era um curumim protetor da floresta. Com a chegada dos europeus passou a ser demonizado para facilitar a implantação do cristianismo.

“Adotado” pelas negras – as cozinheiras eram eximias contadoras de causos -, o Saci virou negro e perdeu uma perna.  Foi escravizado e mantido preso por uma perna na senzala.

Uma noite resolveu fugir: cortou a perna presa por grilhões e se mandou.  Preferiu ser livre com uma perna só do que escravo com duas. O Saci tem, portanto, esse lado libertário.

Do Preto Velho ganhou o cachimbo e dos brancos ganhou o gorrinho mágico vermelho – o píleo – presente em vários mitos europeus e também pelos republicanos durante a Revolução Francesa.

DIA DO SACI É CELEBRADO EM DIVERSOS ESTADOS

Com o objetivo de resgatar figuras do folclore brasileiro, em contraposição ao “Dia das Bruxas” ou “Halloween”, de tradição celta, que invadiu nossa cultura, a data consta do projeto de lei federal nº 2.762.

Leis semelhantes foram aprovadas pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e na Câmara Municipal de São Paulo. O Estado de São Paulo oficializou a data com a Lei nº 11.669, de 13 de janeiro de 2004.

Vários municípios já haviam feito o mesmo, entre eles, São Luiz do Paraitinga, cidade natal de Ditão Virgílio, o maior saciólogo do Brasil, onde a festa dedicada ao Saci dura quase duas semanas, São José do Rio Preto, Guaratinguetá e Embu das Artes.

O Dia do Saci também está oficializado em Vitória (Espírito Santo), Poços de Caldas e Uberaba (Minas Gerais), Fortaleza e Independência (Ceará), Paraty (RJ), entre muitos outros.

O SACI EM PIRASSUNUNGA

Desde o ano de 2006 o Saci Pererê é a mascote da Semana Nenete de Música Caipira, uma das grandes festas da Cultura Caipira do país. Em fevereiro de 2009 foi tema do Carnaval da cidade e do Bloco Carnavalesco Pinto do Meio Dia.

DE ONDE VÊM OS SACIS?

Os Sacis vivem 77 anos. Nascem do nó do bambu taquaruçu, em ninhadas de 7, com 7 centímetros cada. Após 7 anos de “gestação” dentro do gomo do bambu, saem para uma longa vida de travessuras.

Atingem até 77 centímetros. Quando morrem, aos 77 anos, se transformam em cogumelos venenosos, também conhecidos como “orelhas de pau”, espécie que se forma nos troncos das árvores e que se parece com uma orelha.

O Saci é um defensor do meio ambiente, como todos os mitos de origem indígena, o Curupira também defende a floresta, o Boitatá os campos, a Iara defende a água e os animais das águas, e o Caipora defende os animais da floresta.

Vamos espalhar essa riqueza!

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *